PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 41 visitantes e Nenhum membro online

Liberdade não se Compra, Dignidade não se Vende

A eficácia de qualquer trabalho depende do planejamento e a Igreja Católica tem uma vasta experiência no planejamento por meio da Campanha da Fraternidade. Estamos no Ano da Juventude, mas é hora também de planejar a Campanha do ano que vem. O encontro estadual de capacitação das lideranças aconteceu em Itaici nos dias 25, 26 e 27 de outubro de 2013. Agora a nossa Arquidiocese se prepara para o lançamento da CF 2014 que será no dia 07 de dezembro a partir das 9:00h no Centro Pastoral São José do Belém. Participe você também.

O tema é Fraternidade e o tráfico de seres humanos e o lema é "É para a liberdade que Cristo  nos libertou" (Gl 5, 1). O tráfico humano é um crime que atenta contra a dignidade da pessoa  humana, já que explora o filho e a filha de Deus, limita suas liberdades, despreza sua honra, agride seu amor próprio, ameaça e subtrai sua vida, quer  seja da mulher, da criança, do adolescente, do trabalhador ou da trabalhadora.

O objetivo geral da CF é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-las como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar este mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. Também tem por objetivo:

 

1 – Identificar as causas e modalidades do tráfico humano e os rostos que sofrem com essa exploração;

2 – Denunciar as estruturas e situações causadoras do tráfico humano.

3 – Reivindicar dos poderes públicos, políticas e meios para a reinserção das pessoas atingidas pelo tráfico humano na vida familiar e social.

4 – Promover ações de prevenção e de resgate da cidadania das pessoas em situação de tráfico.

5 – Suscitar, à luz da Palavra de Deus, a conversão que conduza ao empenho transformador dessa realidade aviltante da pessoa humana.

6 – Celebrar o mistério da morte e ressurreição de Jesus Cristo, sensibilizando para a solidariedade e o cuidado às vítimas desse mal.

 

A CF trata de 4 modalidades do tráfico de seres humanos. São elas: Trabalho escravo, Tráfico de órgãos, Tráfico de crianças e adolescentes e Tráfico sexual.

Vamos falar brevemente de cada um deles!

O Trabalho escravo é um crime que cerceia a liberdade dos trabalhadores por meio: apreensão de documentos, presença de guardas armados e “gatos” de comportamento ameaçador, dívidas ilegalmente impostas ou pelas características geográficas do local, que impedem a fuga (OIT).

O Tráfico de órgãos é uma das modalidades mais cruéis do tráfico de seres humanos. Córneas e rins são retirados de pacientes internados em hospitais públicos; crianças são bem tratadas em cativeiro para depois serem retaliadas; adolescentes e jovens são raptados para servirem ao comércio ilegal de órgãos  (Adital).

O Tráfico de crianças e adolescentes que são enviadas para o exterior para adoção, para exploração sexual e são exploradas para o trabalho infantil, muitas vezes no ambiente doméstico (Solar).

O Tráfico sexual que envolve a exploração sexual (prostituição, pornografia, turismo). Migrantes

A situação de migrante, imigrante ou refugiado leva pessoas a serem aliciadas para o trabalho escravo, exploração sexual, ou outras formas de trabalho indigno.

A campanha quer trabalhar em nível da prevenção que é sempre a melhor iniciativa. Para tanto as seguintes orientações:

 

· Duvide sempre de propostas de emprego fácil e lucrativo.

· Sugira que a pessoa, antes de aceitar a proposta de emprego, leia atentamente o contrato de trabalho, busque informações sobre a empresa contratante, procure auxílio da área jurídica especializada. A atenção é redobrada em caso de propostas que incluam deslocamentos, viagens nacionais e internacionais.

· Evite tirar cópias dos documentos pessoais e deixá-las em mãos de parentes ou amigos.

· Deixe endereço, telefone e/ou localização da cidade para onde está viajando.

· Informe para a pessoa que está seguindo viagem endereços e contatos de consulados, ONGs e autoridades da região.

· Oriente para que a pessoa que vai viajar nunca deixe de se comunicar com familiares e amigos (Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania).

· O Brasil é origem, passagem e destino do tráfico de pessoas.

 

Se a sua comunidade tem uma equipe que cuida da CF, junte-se a ela e contribua para multiplicar as informações para se enfrentar esse gravíssimo crime. Se a sua comunidade ainda não tem uma equipe responsável pela CF, então seja você a pessoa que vai desencadear esse trabalho. Participe da capacitação no dia 07/12 às 9:00h no Centro Pastoral São José do Belém.  

 

Fonte: Programa exibido na Rádio 9 de Julho no Programa Igreja em Notícia no dia 29/11/2013. Reproduzido aqui com autorização da autora.

 

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).