PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 126 visitantes e Nenhum membro online

Cartaz e Objetivo Geral da CF 2014

A Campanha da Fraternidade tem 51 anos e é um importantíssimo instrumento de evangelização e de construção do Reino de Deus, por meio da transformação das estruturas injustas. Este ano traz o tema da Fraternidade e o Tráfico Humano. O tráfico humano está entre as preocupações do Papa Francisco disse ele: 

Em muitas partes do mundo, parece não conhecer tréguas a grave lesão dos direitos humanos fundamentais, sobretudo dos direitos à vida e à liberdade de religião. Exemplo preocupante disso mesmo é o dramático fenômeno do tráfico de seres humanos, sobre cuja vida e desespero especulam pessoas sem escrúpulos. Penso na tragédia da exploração do trabalho; penso na prostituição que diariamente ceifa vítimas inocentes, sobretudo entre os mais jovens, roubando-lhes o futuro; penso no tráfico de seres humanos, nos crimes e abusos contra menores, na escravidão que ainda espalha o seu horror em muitas partes do mundo, na tragédia frequentemente ignorada dos imigrantes sobre quem se especula indignamente na ilegalidade (Carta Dia Mundial da Paz 2014).

Todos essas são questões abordadas na CF 2014. Você já viu o cartaz?

Ele traz quatro mãos acorrentadas e estendidas que simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. Essa quatro mãos representam a mão do trabalhador, a mão que trafica os órgãos humanos, a mão da mulher em situação de exploração sexual e a mão da criança que é traficada e explorada. 

A mão que sustenta as correntes representa a força do tráfico, do aliciador que explora vítimas distantes de sua terra, de sua família e de sua gente.

Essa situação rompe com o projeto de vida na liberdade e na paz e viola a dignidade e os direitos do ser humano, criado à imagem e semelhança de Deus. A sombra na parte superior do cartaz expressa as violações do tráfico humano, que ferem a fraternidade e a solidariedade, que empobrecem e desumanizam a sociedade.

As correntes rompidas e envoltas em luz revigoram a vida sofrida das pessoas dominadas por esse crime e apontam para a esperança de libertação do tráfico humano. Essa esperança se nutre da entrega total de Jesus Cristo na cruz para vencer as situações de morte e conceder a liberdade a todos. “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), especialmente os que sofrem com injustiças, como as presentes nas modalidades do tráfico humano.

A maioria das pessoas traficadas é pobre ou está em situação de grande vulnerabilidade. As redes criminosas do tráfico valem-se dessa condição, que facilita o aliciamento com enganosas promessas de vida mais digna. Uma vez nas mãos dos traficantes, mulheres, homens e crianças, adolescentes e jovens são explorados em atividades contra a própria vontade e por meios violentos (CNBB). 

Talvez você esteja pensando "Ah, essa situação do tráfico de pessoas é algo distante, não tem nada a ver comigo, nem com a minha comunidade". Puro engano, o tráfico de seres humanos está muito perto de nós e por isso o objetivo geral é Identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas e denunciá-lo como violação da dignidade e da liberdade humana, mobilizando cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal, com vista ao resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. Veja que este objetivo tem dentro de si quatro aspectos.

O primeiro é identificar as práticas de tráfico humano em suas várias formas. Nós só conseguiremos identificar o tráfico humano se conhecermos melhor quais as suas formas e como os aliciadores chegam às vitimas.

O segundo é denunciar o tráfico de seres humanos como violação da dignidade e da liberdade humana. Para isso acontecer precisamos conhecer os meios de denúncia e que ela seja feita de forma segura.

O terceiro aspecto é mobilizar os cristãos e a sociedade brasileira para erradicar esse mal. Só conseguiremos nos mobilizar se nos reunirmos para conhecer este tema e acompanhar as iniciativas de enfrentamento do tráfico de pessoas que estão acontecendo.

Por fim tudo isto se dá em vista do resgate da vida dos filhos e filhas de Deus. É a dignidade dos filhos de Deus que está sendo cerceada. Você continua achando que não tem nada a ver com isso?

 

Fonte: Programa exibido na Rádio 9 de Julho no Programa Igreja em Notícia no dia 10/01/2014. Artigo reproduzido aqui com autorização da autora.

 

 

 

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).