PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 92 visitantes e Nenhum membro online

M2M e a Juventude

A Igreja no mundo está voltada para a Juventude e nós temos o privilégio de sediar a próxima Jornada aqui no Brasil. Estamos discutindo a Fraternidade e a Juventude na campanha da fraternidade e na 6a urgência do 11o Plano Pastoral Arquidiocesano.

O cristão busca sempre a justiça e o jovem cristão tem essa missão também. A Palavra de Deus nos revela uma jovem de família humilde, que se mantém firme na fé e recebe o anúncio que será a mãe do Filho de Deus. Ela aceita e sai em missão. Proclama o Magnificat um hino à glória de Deus e ao chamado à transformação que se dá em vista do Reino de Deus e sua justiça.

Maria, a mãe de Deus, não ficou esperando. Ela repleta de fé, vai exercer a caridade. Vamos em busca, a exemplo de Maria, do protagonismo da nossa juventude. Sabemos que é necessário aprimorar a nossa democracia, o conhecimento da política e tornar o processo eleitoral mais justo.

Neste sentido quero convidar você querido e querida ouvinte a divulgar aos jovens e pedir que eles sejam multiplicadores da boa nova que acaba de ser lançada pelo MCCE, o Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral de São Paulo. Esse movimento foi um dos protagonistas na campanha da Ficha Limpa, que hoje é lei. A Pastoral Fé e Política apoia esta iniciativa. Igreja teve importante colaboração na divulgação da proposta e coleta de assinaturas. Vamos dar um passo a frente na democracia. Estou me referindo ao Proposta de Emenda Constitucional (PEC) M2M o que quer dizer o Máximo de Dois Mandatos - para parlamentares.

Vemos que no Brasil ser político é um cargo que por vezes torna-se vitalício. Vemos vereadores e vereadoras, deputados e deputadas que estão há vários mandatos no cargo. Quando buscamos a sua história política, vemos que a maioria de suas propostas de lei são medíocres como nomes de ruas e praças, homenagens a pessoas e só. O que esses políticos fizeram de verdade para melhorar a vida do povo e a vida em dignidade como quer Jesus Cristo? Provavelmente fizeram favores para alguns e com esses favorzinhos vão se reelegendo, pois por pouca educação política achamos que se recebemos algo de um político devemos dar o nosso voto em troca. Nada disso minha gente!

O dever do político é criar leis para efetivar políticas públicas que garantam a saúde, educação, transporte etc. Também é sua função fiscalizar se as conquistas das leis estão sendo cumpridas pelos governantes. Dizemos que a lei "não pegou". Ela só não pegou, porque quem deveria fiscalizar sua execução não o fez. E quem deve fazer isso na cidade é o vereador e no Estado é o deputado. E também a sociedade civil organizada em mecanismos de controle social.

Podemos evitar a perpetuação do político no cargo, com sucessivas reeleições. Muitos desses tendem a trabalhar mais pelos interesses dos grandes financiadores de campanha do que pelo bem comum do povo. Por que uma grande empresa aplica dinheiro na eleição de um político? Temos construtoras, montadoras, bancos e outros grandes detentores do dinheiro que investem nas campanhas políticas. Vão receber o "investimento" de volta na forma que o parlamentar vai atuar nas comissões e como será o seu voto no plenário. A favor de que e de quem ele vai votar? Do povo que o elegeu ou da empresa que o financiou? É um processo viciado que precisa mudar!

A proposta de reforma política M2M - Máximo Dois Mandatos - é simples, clara e concreta.

O parlamentar tem dois mandatos para executar suas propostas. Oito anos é um bom tempo para efetivar propostas de campanha e agir em vista do bem comum.

A proposta M2M se for aprovada, vai aperfeiçoar a nossa democracia e moralizar a vida política do país. Você pode assinar via internet no site da PFP ASP.

É muito importante assinar o formulário do abaixo-assinado em papel, também disponível no site da PFP. Caso você tenha dificuldade de acessar a internet, tenho certeza que um jovem do seu convívio irá te ajudar.

Una-se aos jovens e as lideranças da sua comunidade, exerçam juntos a responsabilidade social e eclesial, estimule o protagonismo da juventude e organizem a coleta de assinaturas para este projeto. No próprio formulário você tem o endereço para devolver as folhas assinadas.

Não fique esperando, nutra-se da esperança cristã que é ativa e vá em busca de uma sociedade mais justa.

 

Fonte: Artigo primeiramente veiculado pela Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz/SP/SP). Reprodução autorizada diretamente pela autora.

 

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).