PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 51 visitantes e Nenhum membro online

J. Thomaz Filho

A Surpresa da Ceia

A ceia preparava uma surpresa.
Seguira o ritual mas, de repente,
o novo se instaurou e aquela mesa
jamais foi esquecida, minha gente!

Leia mais...

A Irmã Morte

Se Francisco chamou de Irmã Morte,
certamente enxergou com clareza
que ela é parte, não é triste corte,
desta vida de tanta beleza.

Leia mais...

Os que Fazem Vigorar a Paz

Paz! Apesar de eu me achar impotente para tanto, de fato esta é a tarefa: mudar, transformar o mundo, fazer vigorar a paz! Bem-aventurados os que constroem a paz, os que se colocam a serviço da paz, os que a concretizam. Serão identificados como filhos de Deus (Mt 5,9).

Leia mais...

Corações Limpos

Corações limpos, corações puros, corações sem mancha, esses entendem o coração de Deus, moldam-se tomando por modelo o próprio Deus. Por isso são felizes. Isto é ver a Deus (Mt 5,8).

Leia mais...

Misericórdia, Obra de Deus

Misericórdia: é a disposição, o modo de ser do coração que tem piedade, do coração que tem compaixão, do coração que sintoniza com o outro, que sofre junto com o outro por causa da miséria, das penas, do sofrimento desse outro. Um coração em estado de alerta, atento à situação do outro, e que toma as dores do outro, e que transforma o sentimento em ato, em cuidado, em serviço à vida agredida do outro,eis um coração misericordioso.

Leia mais...

Fome e Sede de Justiça

Os evangelhos foram escritos não para compreender o passado e sim para assumir o presente e apontar e aprontar o futuro. E o futuro pronto é a obra de Deus, é a plenitude do Reino. A obra de Deus, porém, nos inclui, não se faz sem nossas mãos; mas também não se limita nem se restringe a elas. Conta conosco para o seu plano.

Leia mais...

Ele Conta com os Mansos

A história tem mostrado que a posse da terra tem sido sempre conflituosa: alguém expulsa alguém e ali se põe como dono. O próprio povo escolhido viveu essa luta e a interpretou como bênção de Deus. A conquista da terra prometida, onde era pra correr leite e mel, durou apenas parte de sua história. O povo teve até reis para defenderem sua conquista, mas a história também lhe foi implacável: reis mais fortes invadiram, tomaram conta, exilaram o povo, destruíram até o templo. A fidelidade no exílio não foi de todos e o resto que voltou reorganizou-se, mas já não conseguiu mais o tão sonhado antigo esplendor.

Leia mais...

Que Choro é Esse?

Que choro é esse que merece consolo? Que consolo é esse? Não se trata, portanto, da alegria que nos faz chorar. Não se trata do choro de alegria (Mt 5,4), pois este choro já traz em si uma satisfação, é reflexo dessa satisfação, é o choro da conquista, o choro por ter vencido a competição, por sentir-se reconhecido como melhor do que os outros. É o choro da satisfação que só inclui a mim mesmo e aos meus, tendo deixado tantos para trás! É o choro que traduz o riso dos fartos, dos que dão conta do recado, dos que já não precisam dos outros. Nem de Deus! Nem de consolo!

Leia mais...

Nossos Mestres, Os Pobres

A boa notícia – evangelho – que Mateus nos quer dar a respeito de Jesus – nome que significa Deus dá salvação - não se apresenta nos moldes das notícias que costumamos esperar: Tudo correu às mil maravilhas! Com a bênção de Deus, não houve problema algum! Se Deus é por nós, o mal passa a léguas, e por mais que nos ronde não consegue ferir a nossa tranqüilidade!

Leia mais...

Ele quer Parceria

Antes de olhar detidamente para cada uma das nove bem-aventuranças (Mt 5,3-12), vale a pena ter uma visão de conjunto. Não são peças isoladas para decorar este ou aquele ambiente, à vontade do freguês. Bebem de uma mesma fonte, apontam para um mesmo horizonte, compõem uma mesma unidade, são faces de um mesmo prisma revelando as várias colorações do Novo Reino, que é nossa luz, o grande sonho de Deus que quer ser o nosso presente – presente como dádiva, como dom de Deus, e presente como nosso agora, como nosso constante momento atual, como nossa tarefa, como nosso desafio.

Leia mais...

J. Thomaz Filho

J. Thomaz Filho
J. Thomaz Filho é escritor, poeta, compositor e também letrista, parceiro de Frei Fabreti em dezenas de músicas litúrgicas, entre elas "Imaculada", "O Amor de Deus", "Grande é o Senhor", "Cantando a Beleza da Vida", "Venham Comigo" e "Vejam". Atuou por mais de dez anos no Colégio Santa Catarina (Petrópolis/RJ) lecionando ética. Trabalha junto a grupos de reflexão bíblica e formação cristã. Foi agraciado com o prêmio "Poesia e Liberdade" pelo Centro Alceu Amoroso Lima (2010). Para falar com J. Thomaz Filho, utilize nosso formulário de contato.