PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 200 visitantes e Nenhum membro online

Ó Deus!

Ó Deus, que nos deste a água
capaz de matar a sede,
nos livra de toda a mágoa
que tece uma estranha rede.

Ó Deus, que no Mar Vermelho
fizeste da servidão
imagem de antigo espelho,
confirma a libertação.

Ó Deus, que da pedra dura
tiraste uma água clara,
teu Reino já se inaugura
e o nosso caminho ampara.

Ó Deus, que notaste o pranto
do povo na caminhada;
em vez de julgar, no entanto,
tu foste a mão desarmada.

Ó Deus, que com tal surpresa
nos falas junto ao Jordão,
teu Filho é razão, certeza,
é o gesto da tua mão.

Ó Deus, no teu Filho Santo
vieste do poço à beira
falar de um roteiro e tanto,
nos dar água verdadeira.

Ó Deus, o teu Filho então
toalha e bacia pede
e faz do serviço o Pão
que a toda opressão despede.

Ó Deus, o poder que oprime
não quer que o teu Reino seja,
e faz de tua lei um crime
que fere a melhor peleja.

Ó Deus, mas na cruz, agora,
parece que tudo cala...
Da lança uma água aflora
no peito que já não fala.

Ó Deus, mas foi tudo em vão?...
A nossa esperança é um não?...
Vem, lava a nossa razão
com tua ressurreição!

 

adoracao-01

 

Fonte: O poema nos foi enviado diretamente pelo autor.

J. Thomaz Filho

J. Thomaz Filho
J. Thomaz Filho é escritor, poeta, compositor e também letrista, parceiro de Frei Fabreti em dezenas de músicas litúrgicas, entre elas "Imaculada", "O Amor de Deus", "Grande é o Senhor", "Cantando a Beleza da Vida", "Venham Comigo" e "Vejam". Atuou por mais de dez anos no Colégio Santa Catarina (Petrópolis/RJ) lecionando ética. Trabalha junto a grupos de reflexão bíblica e formação cristã. Foi agraciado com o prêmio "Poesia e Liberdade" pelo Centro Alceu Amoroso Lima (2010). Para falar com J. Thomaz Filho, utilize nosso formulário de contato.