PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 31 visitantes e Nenhum membro online

Quaresma

Por volta do ano 200, os cristãos começaram a preparar a festa da Páscoa com três dias de oração, meditação e jejum. 150 anos depois este período foi aumentado para 40 dias, surgindo assim o que denominamos Quaresma. Como estes quarentas dias são contados descontando-se os domingos (já dedicado ao Senhor), este período acaba por ter 47 dias corridos, contados a partir da quarta-feira de cinzas.


jesus-desertoEste é um período reservado para a reflexão e a conversão espiritual, onde os fieis são estimulados a fazerem uma comparação entre seus atos e pensamentos e a mensagem deixada por Cristo nos Evangelhos. É um período de renovação, de renascimento espiritual e de crescimento pessoal. Daí também a Campanha da Fraternidade ser apresentada neste período: a Igreja nos dá um tema para reflexão durante estes importantes momentos de renovação, nos estimulando a promover um gesto concreto dentro desse tema ao longo do ano, e a renovar nossa visão sobre este tema ao longo da vida.

Na Bíbllia, o número 4 simboliza o universo material, suas provações e dificuldades: são 40 os dias do dilúvio, são 40 os anos de perigrinação dos judeus pelo deserto, são 40 dias de Moisés e de Elias na montanha, são 40 dias que Jesus passou no deserto, são 400 anos o tempo que os judeus passaram no Egito, etc. Em particular, os 40 dias que Jesus passou no deserto e as tentações que superou nos remetem a necessidade de nossa própria preparação e superação do mal para, adequadamente, comemorarmos a Páscoa Cristã, renovando assim nosso compromisso e fé nos ensinamentos do Cristo.

 

FONTE: Artigo montado com base em dados diversos disponibilizados online: CNBB e Wiki Canção Nova (Quaresma)

Paulo J. Lopes

Paulo J. Lopes
Paulo J. Lopes é membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo. Para falar com Paulo J. Lopes, utilize nosso formulário de contato.