PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 95 visitantes e Nenhum membro online

É Natal!

É Natal, tempo de alegria, festas e troca de presentes. Desejamos, claro, que todos os nossos leitores tenham essas três coisas em abundância, mas gostariamos também que houvesse um momento de reflexão. Pensem: comemoramos, de forma simbólica, o nascimento de Jesus Cristo, a chegada do Salvador, o início de uma grande saga de amor de Deus para com seu povo. E o que isso nos ensina?


natividade-02O Rei dos Reis chega a este mundo com a humildade de uma mangedoura, e nesse mesmo tom pautaria todos os seus atos sobre a Terra. Se faz humano, aproxima-se assim de todos nós e partilha conosco o Divino.

Pregou a paz, pregou a humildade, pregou a partilha, pregou a justiça, pregou a fé, pregou união... Não só com suas palavras, mas também com suas ações. Não apenas dentro dos templos, mas principalmente fora deles, junto aos seus irmãos. Não de forma escondida, com medo ou vergonha, mas de forma direta, aberta e pública. Não de forma apegada aos preceitos estabelecidos, mas de forma renovadora e plenamente inserida em seu momento socio-político.

Um grande exemplo e uma grande lição para aqueles que tiverem olhos para ver e cérebro para pensar (coisas que parecem estar ficando cada vez mais escassas), não se limitando a seguir caminhos traçados pelo interesse de poucos ou a decorar e repetir palavras sem realmente as compreender.

Monte sua árvore de natal, uma tradição nascida entre os povos bálticos para comemorarem o solstício de inverno, transmitida aos povos germânicos e destes para o resto do mundo depois de associada a Natividade Cristã.

Participe de festas e troque presentes, como era tradicional na saturnália romana (festas em homenagem a Saturno por ocasião do solstício de inverno, que se iniciavam em 17 de dezembro) incorporada ao cristianismo no século IV, juntamente com o dia 25 de dezembro, este por ser o dia do nascimento do deus Mitra, o Sol da Virtude (culto nascido na Pérsia mas que se difundiu grandemente pelo mundo greco-romano).

Mas reserve um momento para refletir sobre o Cristo, sobre nosso mundo, sobre você mesmo(a). Dedique alguns instantes de oração pelo bem comum.

Feliz Natal!

 

FONTE: Artigo montado com base em dados diversos disponibilizados online

 

VEJA TAMBÉM:

Paulo J. Lopes

Paulo J. Lopes
Paulo J. Lopes é membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo. Para falar com Paulo J. Lopes, utilize nosso formulário de contato.