PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 47 visitantes e Nenhum membro online

Redução da Maioridade Penal

Vamos nos conscientizar e conhecer mais 18 razões para estar contra a redução da maioridade penal. Ouça o áudio desse nosso comentário para a Rádio 9 de Julho no final da página.

1°. Porque já responsabilizamos adolescentes em ato infracional 

2°. Porque a lei já existe. Resta ser cumprida! 

3°. Porque o índice de reincidência nas prisões é de 70% 

4°. Porque o sistema prisional brasileiro não suporta mais pessoas.

 5°. Porque reduzir a maioridade penal não reduz a violência. 

6°. Porque fixar a maioridade penal em 18 anos é tendência mundial 

7°. Porque a fase de transição justifica o tratamento diferenciado. 

8°. Porque as leis não podem se pautar na exceção. 

9°. Porque reduzir a maioridade penal é tratar o efeito, não a causa! 

10°. Porque educar é melhor e mais eficiente do que punir. 

11°. Porque reduzir a maioridade penal isenta o estado do compromisso com a juventude 

12°. Porque os adolescentes são as maiores vitimas, e não os principais autores da violência 

13°. Porque, na prática, a pec 33/2012 é inviável!! 

14°. Porque reduzir a maioridade penal não afasta crianças e adolescentes do crime 

15°. Porque afronta leis brasileiras e acordos internacionais 

16°. Porque poder votar não tem a ver com ser preso com adultos 

17°. Porque o brasil está dentro dos padrões internacionais. 

18°. Porque importantes órgãos têm apontado que não é uma boa solução.

 

Veja o artigo original das 18 razões e detalhamentos: clique aqui!

 

 

 

Fonte: O arquivo de áudio nos foi enviado diretamente pelo autor, tendo sua reprodução autorizada pela Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz / SP)

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).