PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 3960 visitantes e Nenhum membro online

Democracia Participativa: Organizando o Movimento Popular

Em 16/11/2015 a Escola de Fé e Política Waldemar Rossi receu Eduardo Brasileiro que desenvolveu o tema Democracia Participativa - Organizando o movimento popular .

DEMOCRACIA e participação do

movimento popula organizado.

 

(Mc. 11, 1-11) – “Jesus e seus discípulos se aproximaram de Jerusalém... perto do Monte das Oliveiras. Então Jesus enviou dois discípulos dizendo: ‘Vão até o povoado... e logo que vocês entrarem aí vão encontrar um jumentinho amarrado..., desamarrem o animal e o tragam aqui. Se alguém lhes falar: ‘por que estão fazendo isso?’ Digam: ‘o Senhor precisa dele, mas logo o devolverá.’ Então eles foram e encontraram o jumentinho amarrado do lado de fora, na rua, junto de uma porta, e o desamarraram. Algumas pessoas... disseram: ‘O que vocês estão fazendo, desamarrando o jumentinho?’ Os discípulos responderam como Jesus lhes havia dito e então permitiram que fizesse isso. Então, levaram o jumentinho a Jesus, colocaram os próprios mantos sobre ele e Jesus montou. E muitas pessoas estenderam seus mantos pelo caminho, outros puseram ramos que haviam apanhado nos campos. Os que iam na frente e os que o seguiam gritavam: ‘Hosana! Bendito o que vem em nome do Senhor! Bendito seja o Reino que vem, o reino do nosso pai Davi....”

 

(Papa Francisco aos movimentos populares) ‘Solidariedade...é também lutar contra as causas estruturais da pobreza, a desigualdade, a falta de trabalho, de terra e de moradia, a negação dos direitos sociais e trabalhistas.... A solidariedade, entendida no seu sentido mais profundo, é um modo de fazer história, e é isso que os movimentos populares fazem. ’

 

‘... Vocês não trabalham com ideias, trabalham com realidades..., tem os pés no barro, e as mãos, na carne. Têm cheiro de bairro, de povo, de luta! Querermos que se ouça a sua voz, que, em geral, se escuta pouco. Talvez porque incomoda, talvez porque tem medo da mudança que vocês reivindicam, mas, sem a sua presença, sem ir realmente às periferias, as boas propostas e projetos que frequentemente ouvimos nas conferências internacionais ficam no reino das ideias. ’

 

‘Terra, teto e trabalho – isso pelo qual vocês lutam – são direitos sagrados. Reivindicar isso não é nada raro, é a doutrina social da Igreja. ’

Reflexão de Waldemar Rossi

O texto de Mc. foi escolhido porque mostra que as ações organizativas de jesus não se limitaram aos 12 nem aos 72. Havia muita gente do povo que estava no mesmo caminho, embora mais atrás, em estágio menos avançado e que provavelmente os discípulos não conheciam. Apesar disso, Jesus não resolveu todos os problemas do povo. Deu início, despertou pessoas e as colocou sob o comando de Pedro e seus amigos. a História deveria continuar... 

Eduardo Brasileiro

Escola de fe, politica e cidadania.
Pe Chico Falconi

Movimento Popular fruto de paixão

Fazer Reivindicações

l iluminação pública
l moradia
l saúde pública
l educação pública
l transporte

Formação do movimento popular a partir de demandas
Lutas que são na horizontalidade

São celulares vida conversada no ônibus sobre morte do assaltante

Relação da vida com o sistema financeiro

Porque é tão difícil unirmos pautas?

12 anos PT
Assistencia social e vida do povo
Criação de um Capitalismo de Estado
Grandes empresas controlando nossa vida política

Sociedade = medo - segurança

Movimento Popular
Soberania do povo
Igualitarismo

Reparar diferenças históricas
Relações materiais iguais

Violência do atual modo de produção

Militarização das relações
Nossas periferias estão militarizadas
Mortes de jovens, negros e pobres

Dados alarmantes = mapa da violência

Encarceramento em massa
Jovens presos em rolezinhos
Polícia faz treinamento com polícia de Israel
Fotografam todos
Manifestação tem que conquistar os que não estão.

Reflexões: 

Black blocks
PM + midia

Temos enfraquecimento das grandes manifestações e várias pequenas espalhadas

Capitalismo e religiões

Livro: O capitalismo como medo Alan Coelho

Movimentos sociais antigos e novos
Bolívia e o papa

Novos movimentos não tiveram espaço

Avanços na mobilidade em SP
Legado MPL (Movimento Passe Livre)

MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto)
Rede extremo sul
mobiliza muito a juventude
Horizontalidade

Saraus das periferias
Refletem a realidade local

A crise que estamos vivendo mobiliza o surgimento de novos partidos, mas seria melhor que enfraquecer se os partidos fortalecesem os movimentos populares.

Luta pela soberania popular
Igualitarismo

Carência de lideranças - motiva novos jeitos de agir formulação de movimentos
Ao falar de um nome falamos de um perfil eleitoral
Painéis de pautas

Livro Desmilitarização da política e da polícia

Frente povo sem medo (janeiro 2015)

Frente brasil popular (dissidencia)

D. Pedro Casaldaliga

Estamos num processo, veremos resultado depois.

 

Fonte: Escola de Fé e Política Wlademar Rossi, texto publicado em nosso site diretamente pela autora.

 

 

Márcia M. de Castro

Márcia M. de Castro
Márcia Mathias de Castro é fonoaudióloga, membro da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo e Coordenadora da Escola de Fé e Política Waldemar Rossi (RE Belém). Também é colaboradora da Rádio 9 de Julho (AM 1.600 KHz - SP), participou da Escola de Governo e do Movimento de Integração Campo Cidade (MICC).