PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 88 visitantes e Nenhum membro online

J. Thomaz Filho

NÃO NEGUEI

Teu rosto, ó Pai Santo, não neguei,
e fiz por clareá-lo, em cada gesto.
Eu fui às consciências, desvelei
mazelas, prepotências, todo o resto,
mas fui clemência e paz, eu perdoei.

Humano coração, por que assim?
Não ver e não ouvir, ser indigesto?
Tu ceifas mundo irmão como capim.
Em vez de dar a mão, tu és molesto,
impedes que floresça o bom jardim.

Ó Pai, eu me firmei contra tal lei.
Não era o que querias? O meu sim?

J. Thomaz Filho

VENCEU A VIDA

Fugiram no momento crucial.
O medo foi cruel. Deu debandada.
Mas não se dispersaram. Afinal,
havia alguma rede reforçada,
mais forte que as razões do vendaval.

Mais firme? Madalena! Decidida!
E sabe aonde vai, de madrugada...
Sepulcro está vazio? Outra ferida
lhe sangra o coração... Penalizada,
retorna e conta aos outros... Sucumbida?

Oh!... Não!... Estende tudo no varal,
confere e traz à luz: “Venceu a Vida!”

J. Thomaz Filho

SEMPRE RECADO

Teu jeito de enxergar nosso universo
carrega uma ternura, o bom cuidado.
E quando te deparas com um verso,
teu jeito de senti-lo é recheado
do sonho que não quer nada disperso.

Teu jeito de cuidar é o do aconchego,
teu jeito de escutar é o do bom grado,
do arranjo que quer paz, e não sossego,
teu jeito de enfrentar sempre é recado
pra todos que têm pressa, medo, apego.

E quando tudo dói e é controverso,
teu jeito de ainda crer não perde o emprego.

J. Thomaz Filho

EM GAZA

O último suspiro em grande hausto,
fugindo dos projéteis mais insanos...
Quem tem mísseis à mão, do lado fausto,
não vê terror no sangue dos seus planos:
não poupa dor nem morte a um povo exausto.

As casas são escombros e nas tendas
um povo que sozinho sofre os danos
de um mal que ele não fez... Quero que entendas!
São atos de vingança, não enganos,
que matam, orfanizam, negam sendas.

Sinônimo me dês para holocausto,
ó líder, pra evitar que tu te ofendas!

J. Thomaz Filho

AMIGOS

Não basta, pros meus olhos, teu sorriso.
Como é que o coração está batendo?
Por que sob os teus olhos esse friso?
Não bastam as palavras que eu entendo,
também o teu silêncio traz aviso.

Não somos simplesmente do desfrute,
tampouco do pagando e do devendo.
Convívio traz um ar que repercute
lá dentro e diz que a paz está querendo
que cada um de nós não pare, lute.

É luz, é a contramão do prejuízo!
Amigos!... Bem assim! Nem se discute!

J. Thomaz Filho

SEU CORPO

No mundo há tanta fome – se fez Pão.
No mundo há tanto ódio – foi ternura.
No mundo há tanta dor – nos deu a mão.
No mundo violento – foi brandura.
No mundo dos abusos – foi irmão.

Sim, Ele é esse Corpo aqui doado,
Vigor que nos anima e que perdura
pra estarmos, também nós, do mesmo lado,
lutando contra a dor que desfigura,
levando luz, perdão, paz e cuidado.

Seu Corpo, que foi sempre salvação,
um firme não à dor: ressuscitado!

J. Thomaz Filho

TU ÉS MÃE

Tu és pra mim, ó mãe, porto seguro,
tu és a minha escola para a vida,
tu és o lar que cuida em claro e escuro,
tu és meu incentivo para a lida,
tu és a fortaleza em todo o apuro.

Tu és meu alimento confiável,
tu és a paz que sempre me convida;
em todo o desconsolo, o peito afável;
no breu e na incerteza, luz, guarida;
em todo o vai e vem, a mão estável.

Tu és sopro do céu, meu ar mais puro,
tu és o olhar de Deus: sempre amigável!

J. Thomaz Filho

NÃO FOSSE

Não fosse Madalena tão atenta,
não fosse o coração dessas mulheres...
Os doze? Com a mente fria e lenta...
Mais quanto de demora?... Não te alteres...
Apenas conjetura... Fraudulenta?

Que duro serem desacreditadas...
Mas elas são humanas, não talheres,
e têm o que dizer, são informadas
por seus cinco sentidos – se quiseres –
e por intuições mais afinadas...

Jesus ressuscitou!... Ninguém inventa:
é a fé que amadurece as madrugadas!...

J. Thomaz Filho

DO TEU JEITO

Tu tens à flor da pele o coração,
não és de com os olhos ver, apenas.
Ao seres bom cuidado, luz, perdão,
tu és de te achegares: te apequenas,
tu sabes de estar junto, de abrir mão.

Enxergas tudo e todos do teu jeito.
E tens a força tanta nas arenas
que a vida nos prepara, pois teu peito
não é de afeiçoar-se àquelas cenas
de frio, e de abandono, e sem direito.

Tu choras?... Não porque não tens razão.
A tens como Deus tem: no amplo proveito!

J. Thomaz Filho

VIDA CONSAGRADA

Você, com sua escolha consciente,
ousou aquele passo confiante.
Você, que decidiu seguir em frente,
em cada dom, talento e cada instante
quer ser oferta viva ao Deus Presente.

Presente como luz e como fonte,
e rumo, e bom vigor, desafiante,
que almeja o mundo irmão, que faz a ponte,
juntando céu e chão, e que garante,
na História, o gosto bom de um horizonte!

Você, que se consagra reverente,
também nos vem propor: “Erguer a fronte!”

J. Thomaz Filho

 

J. Thomaz Filho

J. Thomaz Filho
J. Thomaz Filho é escritor, poeta, compositor e também letrista, parceiro de Frei Fabreti em dezenas de músicas litúrgicas, entre elas "Imaculada", "O Amor de Deus", "Grande é o Senhor", "Cantando a Beleza da Vida", "Venham Comigo" e "Vejam". Atuou por mais de dez anos no Colégio Santa Catarina (Petrópolis/RJ) lecionando ética. Trabalha junto a grupos de reflexão bíblica e formação cristã. Foi agraciado com o prêmio "Poesia e Liberdade" pelo Centro Alceu Amoroso Lima (2010). Para falar com J. Thomaz Filho, utilize nosso formulário de contato.