PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 65 visitantes e Nenhum membro online

Proposta para a CF-2012: Teatro

Waldemar Rossi nos propõe uma atividade interesante para o estudo e divulgação da Campanha da Fraternidade de 2012: uma representação que poderá ser encenada pelos grupos teatrais de cada paróquia, associação, etc. Incentive a participação de sua comunidade!

 

 

JORNALEIRO: Extra! Extra: ex-Presidente da República está com grave problema de saúde. Detectado câncer na laringe!


Brasília, Urgente: Ex-presidente vai a São Paulo a procura do melhor hospital e dos melhores médicos para a cura de sua doença e é prontamente atendido no Hospital Sírio Libanês!


São Paulo, Urgente: Ex-presidente já se submete às primeiras aplicações de quimioterapia no mesmo hospital em que está internado.


NARRADOR: Depois de dois meses...


Ultimas notícias: Médicos afirmam que a descoberta rápida da doença e o pronto atendimento foram os fatores principais da cura do ex-presidente.


NARRADOR: Enquanto isso, num bairro afastado do centro...


Casal, deitados: Homem dormindo e mulher inquieta, gemendo. Quando não aguenta mais, sacode o marido (mais fácil será o casal apenas ensaiar e outro casal ler no microfone)


MULHER: Acorda homem!, Acorda! Estou com muita dor.


HOMEM (ainda sonolento): O que? O que foi? Onde estou?


MULHER (impaciente): Precisamos ir ao hospital. Estou com muita dor


HOMEM (assustado): Agora? Às 3 da madrugada?


MULHER: Se não formos agora não pegaremos a senha. E, se não tiver senha, adeus consulta!


HOMEM: Mas, já tentamos tantas vezes, e nada!


MULHER: Eu sei meu velho, mas não tô aguentando mais. A dor continua aumentando...


HOMEM (resignado): Tá bom. Vamos lá, agora, então!


NARRADOR: Depois de três horas de fila, aguardando o portão abrir, eles conseguem uma das últimas senhas. Muita gente que estava na fila, infelizmente, não com a senha e teve que volta para casa sem o atendimento necessário. Ou então, tentar a sorte em outro posto de atendimento.


MULHER (preocupada): Só falta a gente cair com aquele médico que não deixa a gente falar, e nem olha na nossa cara...!


HOMEM (esperançoso): Tomara que não caia com ele...


NARRADOR: Depois de 3 horas na espera do atendimento, finalmente o casal é chamado.


MÉDICO (com cara de cansaço): Número 26...


HOMEM e MULHER: Bom dia, Dr.


MÉDICO (Ignorando o cumprimento): Qual é o problema?


MULHER (com ar de sofrida): Tenho muita dor aqui na garganta!


MÉDICO: Não poso fazer nada sem ter resultados de exames que a senhora precisa fazer


MULHER: Mas, Dr., isso vai demorar, e eu não sei se vou aguentar até conseguir marcar os exames...


MÉDICO (meio irritado): Minha senhora, eu não crio as regras, sem exames, não tem remédios nem internação.


HOMEM: Dr. Ela está sofrendo muito e tá difícil chegar cedinho pra conseguir consulta!


MÉDICO (mais irritado ainda): Que culpa tenho eu? Infelizmente é assim que isto aqui funciona. (e despacha os dois, depois de entregar guias para os exames)


NARRADOR: Sem alternativa, o casal se retira cabisbaixo, enquanto vai dialogando:


HOMEM: Mesmo com alguma esperança, eu não tava acreditando...


MULHER: E a dor vai aumentar cada dia mais


HOMEM: Amanhã mesmo vou tentar agendar os exames.


MULHER: É, mas você sabe que vai demorar uns três meses. Ainda vou ter que ir em algum lugar pra colher material pra exames de laboratório.


HOMEM: Deixa eu ver as guias: hum! Exames de sangue, RX do tórax, ultrassom... Xiii, vai demorar um tempão!


NARRADOR: O Casal sai do hospital sem nenhumaesperança. É o próprio retrato do desespero.... Enquanto o caso semelhante do ex-presidente foi solucionado rapidinho, o caso desta senhora resta esperar e torcer para que consiga fazer logo tudo o que precisa, a tempo de sobreviver...


Até quando permanecerá essa diferença, em que alguns têm o justo e rápido atendimento e os trabalhadores passam por tanto sofrimento? O que podemos e precisamos fazer?


É isto que a Igreja nos convida a responder com a Campanha da Fraternidade deste ano. E isto estamos buscando responder em nossa comunidade, para que: A SAÚDE SE DIFUNDA SOBRE A TERRA... Para todos, e não apenas para alguns privilegiados.

 

 

FONTE: O artigo nos foi enviado diretamente pelo autor.

 

Waldemar Rossi

Waldemar Rossi foi coordenador da Pastoral Operária da Arquidiocese de São Paulo, membro da Pastoral Fé e Política da Região Episcopal Belém (ASP) e metalúrgico. Também trabalhou no campo como "boia-fria" e na construção civil. Atuando desde sua juventude nos movimentos pastorais católicos, já em 1960 foi coordenador da Juventude Operária Católica (JOC/Sul). Fez parte da Comissão de Justiça e Paz, atuou como sindicalista, foi Administrador Regional (Adm. Erundina/Mooca)e assessor parlamentar. Waldemar Rossi faleceu no dia 4 de maio de 2016, aos 83 anos.