PASTORAL FÉ E POLÍTICA

Arquidiocese de São Paulo

ptarzh-CNenfrdehiitjarues

Temos 50 visitantes e Nenhum membro online

17° Grito dos Excluídos

Pela vida grita a Terra..., por direitos, todos nós! Este é o lema do décimo sétimo Grito dos Excluídos, que acontece quarta feira próxima, na cidade de São Paulo, em Aparecida e em dezenas de outras dioceses, por este Brasil afora. Esta mobilização, coincidente com a data da comemoração da Independência do Brasil, quer significar e valorizar a reflexão e o agir a favor da soberania do país.


grito-2011Soberania significa possibilidade e capacidade do povo decidir de forma autônoma, sem interferência estrangeira e em ambiente de liberdade, sobre o destino do país. Face aos gravíssimos acontecimentos políticos e econômicos, guerras, ações terroristas, disputas territoriais sangrentas que vemos acontecer no mundo, o Grito dos Excluídos, celebrado no dia da pátria, nos interroga: qual o destino que estamos construindo para o Brasil? Qual o Brasil que queremos?

O Grito dos Excluídos, desde seu início realizado no sete de setembro, foi sugestão da Campanha da Fraternidade de 1994. Foi organizado pela primeira vez em 1995, com objetivo de aprofundar o tema da Campanha da Fraternidade daquele ano, A Fraternidade e os Excluídos e responder aos desafios da 2ª Semana Social Brasileira, com o tema Brasil, alternativas e protagonistas, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

O planeta Terra grita por sua preservação, ameaçada pela exploração, sem limites, de seus recursos naturais, a morte dos cursos d’água, a poluição atmosférica, o aquecimento do meio ambiente, a destruição da fauna e da flora.

Não estamos sabendo olhar com carinho, amor, economia, cuidado, prudência, para os bens e dons com os quais Deus nos abençoou, para que todas e todos tenham vida plena. Trabalhadores, povos indígenas, comunidades negras, o povo da rua, mulheres, idosos, jovens, crianças e adolescentes, homossexuais, lésbicas, transexuais, gritam por seus direitos.

O Grito dos Excluídos deste ano de 2011 leva a refletir sobre a íntima relação entre a vida e os direitos dos homens e das mulheres e a qualidade da preservação do planeta Terra. O exercício da soberania supõe progresso, bem distribuído para todos e todas.

grito-01Quanto mais avançarmos na justa distribuição dos bens, numa qualidade de vida capaz de trazer felicidade para as pessoas, na relação responsável e solidária entre indivíduos e grupos sociais, mais seremos capazes de ativar e valorizar os cuidados para com todos os seres vivos e para com o planeta Terra.

Somos discípulos de Jesus Cristo, que passou pela terra curando os doentes e alimentando os famintos, que revelou em plenitude o infinito amor e misericórdia de Deus pela humanidade, sua justiça e seu perdão, que nos fez irmãos e irmãs, vocacionados ao serviço do próximo e nos deixou seu Espírito Santo, sinal da presença do amor da Trindade entre nós.

Que a força deste mesmo Espírito, fortaleça em nós o entendimento da íntima relação entre a vida da humanidade e a vida do planeta.

Que o Espírito de Deus fortaleça a responsabilidade de cada um e de cada grupo social na luta por igualdade, justa distribuição dos bens, solidariedade com os grupos vulneráveis e o cuidado com a frágil vida deste jardim, no qual todos e todas devem encontrar felicidade e alegria de viver.

FONTE: Artigo escrito por Carmen Cecília de Souza Amaral especialmente para o Programa Eleições em Notícias do dia 31/08/2011 (Rádio 9 de Julho AM 1.600 KHz - São Paulo/SP). O mesmo nos foi enviado diretamente pela autora e sua reprodução é autorizada pela Rádio 9 de Julho.

Caci Amaral

Caci Amaral
Carmem Cecília de Souza Amaral é coordenadora da Pastoral Fé e Política da Arquidiocese de São Paulo, sendo também integrante da Rede Nossa São Paulo e do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE/SP). Para falar com Caci Amaral, utilize nosso formulário de contato.